Um presente que não fica na prateleira

Sempre me fez confusão ver como os americanos gostam de oferecer animais de estimação como presentes, nos vários filmes ou séries americanas que costumam passar na TV. O cãozinho ou gatinho fica ali fechado na caixa, quietinho até alguém abrir a caixa e por fim chorar de alegria pelo presente.

Claro que só em filmes, porque nunca na vida um cão ou gato iam ficar quietos dentro de uma caixa. Quer dizer se fosse um gato talvez ficasse quietinho e sossegado dentro da caixa, porque todos os gatos adoram caixas. Mas se fosse um cão com certeza que iria tentar sair da caixa e se fosse um cão pequeno era muito provável que destruísse a caixa inteira. Porque os cachorrinhos são assim, gostam de brincar e assim como as nossas crianças ainda não conseguem distinguir o que podem fazer daquilo que não devem fazer.

Ter um cão ou ter um gato é uma sensação fantástica. Os animais são seres lindos e maravilhosos, são os melhores companheiros de sempre, fiéis, amorosos e derretem o nosso coração com tanta fofura! Mas não são peluches, são seres vivos e com consciência e por vezes fazem coisas que estão erradas do nosso ponto de vista.

Uma perspectiva diferente

Um sofá novinho em folha pode ser o melhor afiador de unhas do mundo para um gato exigente, e os pés de uma cadeira de madeira podem ser óptimas pastilhas para um cão que precisa de relaxar. Os gatos também são excelentes decoradores de interiores e adoram mandar vasos e jarras para o chão (é design!) e os cães conseguem-se sentir tão confortáveis na nossa casa que por vezes nem querem ir à rua e fazem mesmo o belo do xixi e do cócó no tapete lindo, macio e extremamente caro da sala.

E é por essa razão que o Di-Frent pediu ajuda a algumas associações de apoio a animais abandonados, para escrever um artigo que expusesse toda a verdade sobre a adopção de um animal.

Adoptar um animal de estimação é um compromisso que deve ser feito com toda a responsabilidade e consciência e por isso aqui ficam alguns factos para ponderarem antes de adoptarem um animal neste Natal. E sim adoptar apenas porque o Di-Frent é totalmente contra a compra de animais como podem verificar neste artigo. 

5 pontos a ponderar antes de adoptar um animal

1. UM ANIMAL NUNCA PODE SER UM PRESENTE SURPRESA

Um animal de estimação nunca pode ser um presente surpresa, porque um animal não é um brinquedo que deixamos na prateleira e tiramos apenas quando queremos brincar ou queremos companhia, um animal de estimação é um novo membro da família, com a qual todos familiares devem estar de acordo. Este novo membro da família assim como todos os outros membros tem necessidades, e como não é capaz de satisfazer as suas necessidades sozinho é preciso decidir qual dos familiares vai ser responsável pelas necessidades do animal. Quem é que vai ser responsável pela comida e pela água? Quem é que vai ser responsável por levar o animal à rua várias vezes por dia ou limpar a areia? Quem é que vai ser responsável de levar o animal ao veterinário? Estas são só algumas das questões que devem falar com os vossos familiares antes de decidirem aumentar a vossa família com um membro peludo.

2. TER UM ANIMAL AUMENTA AS DESPESAS DA FAMÍLIA

Adoptar um animal é gratuito e muito mais económico do que comprar animais, contudo é sempre preciso gastar dinheiro com todos os animais. É preciso comprar comida, é preciso levar o animal ao veterinário e pagar todas as despesas de saúde, é preciso comprar alguns brinquedos e é preciso ter em conta também que pode ser necessário gastar dinheiro extra com os animais de estimação nas férias. Quer optem por instalar o vosso animal de estimação num hotel de animais, optem por um serviço de petsitter, ou caso optem pela melhor hipótese que é levar o vosso animal de estimação convosco de férias é preciso ponderar bem se é uma despesa que podem suportar. O amor que os animais nos dão não tem preço mas precisamos ter a certeza que temos condições financeiras para que não falte nada ao novo membro da família.

3. OS ANIMAIS NÃO NASCEM ENSINADOS

Assim como os nossos bebés, os bebés animais não nascem ensinados e precisam de ajudar para aprender a distinguir o que está certo do que está errado. Mas não são só os gatinhos ou os cãezinhos pequeninos que precisam de ajudam! Os animais mais novos como têm necessidade de brincar, por vezes podem roer ou destruir mais objectos, enquanto que os animais mais velhos por norma, são mais calmos e já não precisam de brincar tanto para gastar toda a energia. Contudo ao adoptar um animal mais velho, por vezes também é preciso ter em conta, que apesar da idade, o animal nunca foi ensinado a fazer as necessidades na rua, ou a não arranhar o sofá.
É preciso investir tempo e por vezes em casos mais extremos, até mesmo algum dinheiro em treino positivo.
Tal e qual como nós aceitamos que as pessoas são todas diferentes e que existem pessoas que aprendem mais rápido do que outras, os animais também precisam de ser respeitados e de serem ensinados consoante a sua personalidade e capacidade. Ninguém nasce ensinado!

4. OS ANIMAIS PRECISAM DE ATENÇÃO TODOS OS DIAS

Depois de os nossos familiares peludos já estarem bem integrados na família, bem ensinados e bem familiarizados com as regras e rotinas definidas por nós, os animais continuam a precisar de atenção todos os dias. Não basta apenas satisfazer as necessidades básicas dos animais, levar à rua, limpar a areia, trocar a água e alimentar todos os dias. Os animais não são robots nem máquinas que só precisam de manutenção básica e quando já estão crescidos e ensinados já não precisam de mais atenção e dedicação.

Infelizmente muitas pessoas tratam inclusive outras pessoas com as quais se relacionam, desta forma fria, despegada, desatenta e desinteressada. Muitas pessoas acham que basta estar em casa, dizer bom dia e boa noite, dar um beijinho antes de sair e estar presente nos dias de festas como manda o protocolo, para satisfazer as necessidades de um relacionamento. Mas os humanos têm sempre uma opção: mudar. Quando nós não estamos felizes numa relação temos sempre a possibilidade de sair da relação e podemos procurar outras pessoas para sermos felizes. Já os animais não têm essa opção, porque ou vivem fechados nas casas ou sempre que vão à rua vão com trela e não têm a opção de escapar para ir em busca da sua felicidade. Portanto de nada vale ter um gato só porque é giro para dar festinhas de vez em quando e de nada vale ter um cão para ser apaparicado só quando apetece. Ir passear o cão à rua e não tirar os olhos no telemóvel não vai satisfazer a necessidade de atenção do cão, e vai fazer com que o animal fique infeliz, carente e confuso, que pode dar azo a destruições de objectos como chamadas de atenção.

5. O AMOR DOS ANIMAIS É PARA SEMPRE

Se mesmo depois de ler todos os pontos anteriores com atenção, continuam com vontade de aumentar a vossa família com um membro peludo, nesta época de amor, compaixão e bondade, aqui fica o último ponto a ter em conta: o amor dos animais é infinito!!!
Não interessa se vocês só saíram para despejar o lixo, quando voltarem a casa vão ser recebidos cheios de amor e entusiasmo como se tivessem saídos durante horas! Não interessa se vocês estão vestidos com as roupas mais feias que têm por casa, os vossos animais vão querer mimá-los como se vocês fossem as pessoas mais lindas à face da terra! Para os vossos animais não interessa se vocês têm o emprego ideal, a casa ideal,  a vida ideal e a saúde ideal! Para os vossos animais o que interessa é o carinho, o amor e a atenção que vocês lhes dão! E os animais de rua ou que foram abandonados são ainda mais dedicados e agradecidos, porque sabem reconhecer quem lhes deu a mão, e quem os quis amar e tratar bem com carinho e respeito.

Artigo escrito com a ajuda de: https://www.facebook.com/animaisderua/

1

Copiar é feio! O conteúdo deste site está protegido!

Este site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência de utilização. Mais informações.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close