Um à brás Di-Frent

A-D-O-R-O bacalhau à brás. Adoro bacalhau e adoro batatas fritas, sou louca por salsa e azeitonas, acho que não preciso de dizer mais nada certo? Mas um dia ofereceram-me um alho-francês à brás, e eu como estou sempre interessada em reduzir a minha quota de proteína animal, e aumentar a minha quota de vegetais, decidi experimentar.

Ora então que depois de provar o alho-francês à brás a minha reação foi: “Hummm isto parece mesmo bacalhau à brás!”. E claro está que tive que começar a incluir esta receita com alguma regularidade nos meus menus semanais. Contudo esta receita tem 2 coisas que me incomodam: cortar cebolas e fritar batatas.

Eu não uso óleos vegetais como o de girassol, de soja ou de amendoim porque são alimentos super inflamatórios. Os óleos vegetais têm demasiado ómega-6, que quando não é equilibrado com a dose certa de ómega-3, inflama imenso o nosso organismo.
Como os cientistas ainda não conseguiram decidir se é saudável fritar com azeite ou não, para fritar costumo usar óleo de coco, que até agora parece ser o único óleo indicado para fritar. Mas o óleo de coco é tãooo caro, que me provoca dores na carteira só de ver a quantidade de óleo que é necessário para fazer uma boa dose de fritos.

2 vezes Di-Frent

Para solucionar o problema dos óleos e dos fritos, decidi experimentar simplesmente não fritar.
As batatas salteadas em azeite ficam igualmente saborosas e q.b. crocantes, para além de ser muito mais económico e rápido. Não se gasta óleo/azeite, não se suja a fritadeira que dá uma trabalheira para lavar, enfim só vantagens.

Em relação às cebolas, eu até gosto de as cortar, o que eu não gosto é quando me fazem chorar. E volta e meia quando a minha faca está menos afiada, começo a sentir uma lágrimazinha a cair de um lado, depois outra a cair do outro, depois de repente já tenho a cara toda encharcada, e o pior mesmo é quando já tenho os óculos todos molhados e já nem consigo ver o que estou a fazer, para além das dores nos olhos.

“Cebolas digam-me lá mas que mal é que eu vos fiz?”

Quando descobri as cebolas roxas apaixonei-me. Sim eu sei pareço uma tola, apaixono-me por tudo e mais alguma coisa, mas a verdade é que prefiro o sabor das cebolas roxas, porque são muito mais doces que as cebolas brancas. E como são mais doces, têm menos ácido, e como é óbvio se têm menos ácido fazem chorar menos.

Para além de terem uma cor fantástica e ficarem lindas no prato, ainda são mais minhas amigas porque gostam mais de mim e não me fazem chorar! Uma receita de alho-francês à brás com uma cebola bem Di-frent porque ser Di-Frent é sempre melhor!

Alho-francês à brás com cebola roxa

4 pessoas | 50 minutos | Fácil
COM OVOS | SEM GLÚTEN | SEM LACTOSE | SEM SOJA | SEM FRUTOS SECOS

INGREDIENTES

+ 4 alhos franceses
3 ovos
2 batatas médias
2 cebolas roxas
2 dentes de alho
salsa e azeitonas q.b
azeite, sal e pimenta q.b

INSTRUÇÕES

1. Cortar os alhos franceses às rodelas e lavar muito bem em água corrente. Refogar os alhos franceses, com a cebola cortada às rodelas e os dentes de alho, numa frigideira anti-aderente com um pouco de azeite e deixar cozinhar.
2. Descascar as batatas e ralar com um ralador grosso, adicionar ao alho francês e as cebolas e deixar refogar durante 5 minutos. Tapar a panela e deixar cozinhar até as batatas ficarem macias, mexendo de vez em quando.
3. Quando as batatas estiverem cozinhadas, adicionar os ovos, um de cada vez, mexendo muito bem até que cada ovo fique incorporado na mistura e deixar cozinhar durante 5 minutos.
4. Servir quente e enfeitar com umas folhas de salsa e azeitonas.

Receita elaborada com ingredientes da Quinta da Pedra Branca

Copiar é feio! O conteúdo deste site está protegido!

Este site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência de utilização. Mais informações.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close