Creme de cenoura com lascas de bacalhau e caldo-verde crocante

Creme de cenoura com lascas de bacalhau e caldo-verde crocante

Sim mais um creme de cenoura

Não sei ao certo quantas receitas tenho de creme de cenoura, mas sei que são algumas e que são todas diferentes. Cá em casa devemos consumir uma média de 2 kg de cenouras por semana, às vezes 3 kg, principalmente no inverno, quando sinto mais necessidade de uma sopa quente, de uns chips de cenoura ou de uns palitos de cenoura assados no forno. Se a meio da semana já só me restarem 3 ou 4 cenouras no frigorifico, entro logo em pânico!

“Não posso ficar sem cenouras! Como é que eu vou aguentar até ao final da semana só com estas cenouras? Amanhã tenho que ir comprar cenouras sem falta!”

Para mim não ter cenouras no frigorífico é pior do que a notícia de um cometa louco desvairado em direção à terra a mais de 300.000 km/h ! Não me preocupa pensar que a Terra vai explodir, a mim o que me preocupa é não ter cenouras, porque sem cenouras não consigo fazer uma sopa!

Estou a mentir! Claro que dá para fazer sopas sem cenouras, tenho imensas receitas, em breve vou colocá-las aqui no site.

Ah sim claro que disparate, já me ia esquecendo! Claro que também me preocupa imenso imaginar que a Terra pode explodir por causa de um cometa. Sem Terra não há vida, e sem vida não há cenouras. Ou neste caso para mim, sem cenouras não há vida!

Um problema da vida chamado couve-portuguesa

Outro problema da vida que para mim pode ser tão assustador como um cometa, é aquele sabor amargo da couve-portuguesa. Muito eu invento para dar à volta aquele sabor amargo. Adoro couves, e também gosto de sentir o sabor amargo dos alimentos, mas a couve-portuguesa tem um sabor que não combina como o meu paladar. Uma das sopas que menos gosto é inclusive o caldo verde.

Desde especiarias a sumo de laranja, misturar com pêras ou maçãs, saltear com gengibre ou cebola roxa, muito eu invento nos pratos onde a couve-portuguesa é o alimento principal. Mas o que é certo é que as coisas mais maravilhosas na vida são as coisas mais simples, e por vezes na cozinha a ciência é a mesma.

Caldo verde crocante. Couve-portuguesa, alho e azeite. Uma frigideira bem quente e com a velocidade de um cometa, fica resolvido um problema com a complexidade de um universo. Uma couve-portuguesa crocante, que não amarga e que fica deliciosa, para acompanhar uma sopa tão saborosa que acalma qualquer pânico.

Creme de cenoura com lascas de bacalhau e caldo-verde crocante

4 pessoas | 50 minutos | Fácil
SEM GLÚTEN | SEM LACTOSE | SEM SOJA | SEM OVOS | SEM FRUTOS SECOS

INGREDIENTES

+ 6 cenouras
1 xuxu grande
2 dentes de alho
3 cebolinhas ishikura (ou 1 alho francês)
5 folhas de couve-portuguesa
1 lombo de bacalhau demolhado
azeite e sal q.b

INSTRUÇÕES

1. Cortar as cebolinhas e refogar numa panela com pouco de azeite e com um dente de alho.
2. Descascar e cortar o xuxu e as cenouras em pedaços, juntar ao refogado e deixar cozinhar durante 5 minutos. Acrescentar água, temperar com sal e deixar cozinhar durante mais 20 minutos. Quando os legumes estiverem cozidos, triturar muito bem com a varinha-mágica.
3. Cozer o bacalhau em lume brando. Quando o bacalhau estiver cozido, desfiar em lascas e reservar.
4. Lavar e arranjar as folhas de couve-portuguesa, retirando os talos grossos. Enrolar as folhas de couve-portuguesa, cortar as folhas em tiras muito finas, sob a forma de caldo verde e temperar com sal.
5. Aquecer azeite numa frigideira, adicionar o dente de alho restante e fritar o caldo verde até ficar crocante. Retirar o caldo-verde crocante da frigideira e reservar.
6. Adicionar as lascas de bacalhau à frigideira e deixar cozinhar até o bacalhau ficar dourado.
7. Servir a sopa quente em taças decoradas com o caldo-verde crocante e as lascas de bacalhau.

Receita elaborada com ingredientes da Quinta da Pedra Branca

Share This Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Ou clicar nas palavras abaixo