Esta roupa fica-me bem?

Quando compramos uma camisola nova, umas calças ou um vestido a nossa principal preocupação costuma ser apenas se a roupa nos fica bem ou não. E quando compramos toalhas de banho ou lençóis para a nossa cama, apenas nos preocupamos em escolher uma cor bonita que fique bem com a decoração da casa. Simples não?
Mas será que não estamos a ser demasiado despreocupados? Como é que será produzida a roupa que colocamos em contacto directo com a nossa pele todos os dias, 24horas por dia?

O algodão é muitas vezes referido como “o tecido das nossas vidas”,  pois todas as pessoas estão em contacto directo com artigos de algodão todos os dias. As roupas da cama, as roupas do corpo, o algodão para limpar a cara, a roupa de banho, as fraldas dos nossos bebés, alguns alimentos processados contêm celulose proveniente do algodão, e muitas rações para alimentar a indústria da carne também contêm algodão convencional na sua composição.

O algodão cultivado através de agricultura convencional utiliza mais inseticidas do que qualquer outra cultura agrícola no mundo inteiro. Estima-se que só os produtores de algodão convencional, utilizem por cada ano cerca de 25% dos inseticidas e 10% dos pesticidas a nível mundial.
O cultivo do algodão convencional e a utilização de enormes quantidades de pesticidas não só tem um impacto muito negativo a nível ambiental, como também apresenta riscos graves para a saúde daqueles que trabalham com o algodão. Alguns destes produtos químicos são considerados como sendo os produtos químicos mais tóxicos do mundo. Os riscos para a saúde da exposição a estes pesticidas incluem defeitos de nascimento, problemas reprodutivos e sistemas imunológicos mais fracos. O problema do envenenamento devido a inseticidas químicos e pesticidas é tão grave que milhares de agricultores de algodão nos países em desenvolvimento acabam por perder as vidas.

No entanto apenas 1% do algodão cultivado mundialmente é algodão de produção biológica.

Quem é que se importa com os outros

Estudos realizados pelo Centro de Agricultura Sustentável em Andhra Pradesh, na Índia demonstraram que o cultivo do algodão biológico fica mais barato do que cultivar algodão convencional, uma vez que a maioria do algodão convencional é fruto de organismos geneticamente modificados, tornando-se mais propenso a ataques de pragas.
Como as pragas desenvolvem resistência, os agricultores desesperados para manter os rendimentos muitas vezes recorrem a mais e mais aplicações de pesticidas caros. Mesmo com a utilização de pesticidas e insecticidas, muitos agricultores de algodão convencional não conseguem boas produções nas suas culturas, e como consequência contraem várias dívidas. Nos últimos anos, vários agricultores de algodão da Índia, especialmente nas zonas de Maharashtra e Andhra Pradesh, acabaram por se suicidar, consequência das dívidas contraídas.

O uso excessivo de produtos químicos na produção de algodão convencional também tem tido impactos muito negativos a nível ambiental. Estima-se que apenas cerca de 10% dos produtos químicos aplicados sobre o algodão realizam a sua tarefa contra as pestes e pragas, os restantes 90% resto são absorvidos pelas plantas, pelos solos, pela água, espalhados pelo ar e, eventualmente, absorvidos pelo nosso corpo.

Um estudo de 1993 estimou que 1 a 2 milhões de aves eram mortas anualmente por carbofurano, um inseticida utilizado no cultivo de algodão. Se já em 1993 os dados eram esses, imaginem agora em que o consumo de roupa aumentou desenfreadamente com as lojas de roupa mais baratas.

O uso da água é outra questão na produção de algodão convencional, já que as culturas de algodão utilizam sistemas de irrigação intensiva, fazendo do cultivo de algodão umas das culturas agrícolas a nível mundial a gastar mais água. Para produzir umas calças de ganga estima-se que sejam necessários 9000 litros de água.

E já reparam que ultimamente algumas roupas de algodão, começaram a ter um cheiro menos agradável? E que mais facilmente as roupas ficam mal-cheirosas? Por forma a permitir que as lojas conseguissem vender as suas roupas a preços inacreditáveis, as marcas de roupas compram grandes quantidades de algodão de agricultura convencional a preços muitos baixos, e os químicos provenientes destas culturas de algodão deixam a sua marca mal cheirosa nas nossas roupas.
Um outro problema dos resíduos químicos contidos nos tecidos de algodão convencional é que estes resíduos podem provocar irritações e alergias de pele, erupções cutâneas, problemas respiratórios, dores de cabeça e tonturas.
Cotton_Boll_2

O algodão não engana

Se se preocupam com a vossa saúde, se se preocupam com a saúde do planeta e se se preocupam com o bem-estar dos outros, comecem a pensar seriamente sobre o algodão biológico.

O algodão biológico é cultivado sem o uso de fertilizantes químicos, pesticidas e inseticidas, portanto ajuda a melhorar a qualidade dos solos, evita a contaminação das águas, conserva a biodiversidade e utiliza menos água. Ao comprarem roupas de algodão biológico estão a preservar a saúde dos agricultores, e a melhorar as suas condições económicas. Mas não é só a saúde dos produtores de algodão que melhora se vocês comprarem roupas de algodão biológico.
Como a produção de algodão biológico não utiliza produtos químicos, as roupas de algodão biológico evitam as alergias de pele, reduzem os problemas respiratórios e reduzem os cheiros desagradáveis das roupas. Muitos fabricantes de roupas de algodão biológico afirmam que as suas roupas são melhores para a pele sensível dos bebés, e além disso as roupas de algodão biológico são mais suaves do que as roupas de algodão convencional.

E agora é aquela parte em que vocês estão a pensar que isto é tudo muito bonito, mas que a roupa de algodão biológica deve ser caríssima e vocês não tem dinheiro para isso certo? ERRADO!

Felizmente muitas marcas de roupa já se começaram a dedicar à produção de roupa com algodão biológico e sustentável. O grupo INDITEX começou agora e a H&M é neste momento o maior comprador mundial de algodão biológico e já apresenta uma grande quantidade de roupa de algodão biológico em todas as secções. As roupas da secção de bebé e criança da H&M são quase todas de algodão biológico, a secção de senhora e de homem já tem várias peças de algodão biológico, incluíndo a roupa interior, e até a secção de roupa de cama, de banho e de cozinha já contam com várias peças de algodão biológico. E tudo isto a preços super acessíveis porque afinal de contas é a H&M, que é nada mais nada menos que a minha loja favorita, e que já tem imensas lojas espalhadas por todo o país.

Para quem utiliza o algodão na sua rotina de higiene diária, já existem em quase todas as grandes superfícies comerciais, opções em algodão biológico: bolinhas de algodão, fraldas e toalhitas de bebés.
E agora só para as meninas: também já existem várias opções de produtos de algodão biológico para a nossa higiene íntima, se se preocupam com o vosso bem-estar espreitem este artigo sobre pensos de algodão biológicos.

1

Copiar é feio! O conteúdo deste site está protegido!

Este site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência de utilização. Mais informações.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close